João Candido Portinari fala sobre a parceria com a Cerâmica Portinari

“Será que eu estou sonhando ou será que isso é uma realidade?” Segundo João Candido Portinari, este foi seu pensamento ao pisar na fábrica da Cerâmica Portinari e ser recepcionado com uma salva de palmas pelos colaboradores. A vinda do filho do ilustre pintor brasileiro Candido Portinari a Criciúma (SC) é uma das ações promovidas para intensificar os laços com a família do artista que dá nome à indústria. A visita ocorre em um momento em que a empresa, dentro de seu plano estratégico, reforça a ligação com a arte. Afinal, mais do que razão, todo ambiente precisa de emoção.

Depois de uma palestra que fez para funcionários e alguns convidados, João contou um pouco de como essa história entre o pintor paulista e a cerâmica catarinense começou. Em 1987, ele estava em seu escritório, já era à noitinha, e tocou o telefone. Era da Cerâmica Cecrisa. “Eu não conhecia, não sabia nada sobre cerâmica. Então me disseram assim: Estamos ligando para você porque queríamos autorização para dar o nome de Portinari à nossa marca premium. Foi a primeira vez que pediam para usar o nome Portinari”. João disse para que a empresa entrasse em contato com a Silvia, sua advogada na época, pois não tinha conhecimento nessa área.

Dois dias depois, segundo ele, Silvia ligou contando que a empresa que havia feito contato era a maior cerâmica da América do Sul. E perguntou ao João, que estava à frente do Projeto Portinari, o que achava. Na época, ele teve o seguinte pensamento:

“Eu achei que na área de cerâmica, como é uma área na qual a estética é muito importante, as obras de meu pai ficariam lindas, até porque foi ele um dos primeiros a introduzir a azulejaria moderna aqui no Brasil, como as pinturas na Igreja da Pampulha, em Belo Horizonte (MG). Há decorações belíssimas de São Francisco em azulejo”.

Igreja da Pampulha, em Belo Horizonte (MG)

Hoje, João se diz muito feliz com esse relacionamento, principalmente porque consegue sentir um carinho especial pela preocupação da Cerâmica Portinari em valorizar a arte em suas peças. Ele acredita que a parceria pode produzir coisas ainda mais belas, não só em termos de desenvolvimento de produtos, como em campanhas de marketing e de aproximação com as pessoas. “Eu acho que estamos vivendo um momento em que o grande diferencial de um produto ou serviço é tocar os corações das pessoas. Não adianta fazer mil malabarismos. Hoje, você não compra apenas um porcelanato. Você compra uma experiência, uma emoção. E a Cerâmica Portinari está sendo pioneira nisso”, destaca.

Deixe seu comentário

Este campo é obrigatório

Este campo é obrigatório

O endereço de e-mail é inválido