CasaCor Rio Grande do Sul: tríplice aliança contemporânea

Por Eleone Prestes

O trio elegância/qualidade/criatividade rouba a cena na 28ª CasaCor Rio Grande do Sul 2019, aberta de 23 de julho até 8 de setembro, em Porto Alegre. Até a planta de corredores amplos do antigo Hospital da Criança Santo Antônio transformada por layouts acolhedores mostra o esforço dos 78 profissionais para demonstrar maturidade nas criações dos 49 ambientes que compõem a tradicional mostra.

Cuidados na escolha de peças autorais em design e arte, revestimentos variados, texturas na dose certa e misturas idem. Mesmo na dupla queridinha dos arquitetos de produtos com aparência de madeira e pedra resultam em composições diversas, com usos particulares que mostram um esforço em criar propostas com identidade. Alusões ao tema da CasaCor 2019, Planeta Casa, são observadas de modo sutil, sem comprometer o foco dos profissionais ao criarem ambientes internos e externos que podem ser transpostos para outros espaços sem comprometer a funcionalidade e a beleza da proposta.

Tanto a tonalização dos ambientes quanto o aconchego ou a ideia de limpeza de formas tem o protagonismo dos revestimentos Portinari espalhados em 13 ambientes pelos 4,1 mil metros quadrados, correspondentes a dois andares da construção histórica ocupados pela mostra – o conjunto arquitetônico formado por hospital e capela tem no total 9,95 mil metros quadrados de área. Clima industrial ou “comfy”, escuro ou solar, com certa rugosidade ou nenhuma textura, os produtos comprovam sua versatilidade ao se mimetizar com a arquitetura na formação de propostas, a maioria de interiores, que têm arrancado elogios dos visitantes.

Materiais falam

Na mitologia grega, a deusa Gaia personifica o planeta Terra. Pois em 230 metros quadrados, o maior espaço interno da CasaCor RS, o arquiteto Luiz Sentinger criou a sua personificação da Casa Gaia. Misturas de revestimentos resultam em um dos diferenciais do projeto. Nesse quesito, a Portinari tem papel preponderante nos pisos do living e da suíte para compor o clima da casa. E dá um show no alvo banheiro com o produto que virou um queridinho dos profissionais, inspirado nos azulejos de estações de metrô.

Coleção Decora WH

Também a área externa exibe revestimentos que contracenam com materiais naturais no projeto das paisagistas Katiane Pinheiro e Maiara Ferrari, trabalhado em detalhes, como um espaço interno.

Coleção Munich BK

Impactam também a atmosfera da Casa Gaia obras de arte como as pinturas acrílicas de Gelson Radaelli encimando o sofá, em rosa e preto, e um trabalho de Wagner Costa, entre outras peças de qualidade. Assinaturas como a do icônico Sergio Rodrigues, que está presente com a poltrona Moleca e o banco Mocho, compõem o acervo de design, reforçado pelo vaso Bêbado, de Jacqueline Terpins. Obras autorais desse nível contracenam com mobiliário, acessórios e luminotécnica que valorizam a proposta e as escolhas dos materiais de acabamento que definem pisos e paredes e contribuem para o resultado com forte identidade.

Luthier BE

Reflexo das escolhas

Contraponto de materiais tem poder. Na Escada da Casa, Melina Knopp comprova isso na escolha da dupla de sucesso pedra/mármore e amadeirado formando um triângulo com o uso de espelhos, sob as bênçãos de uma parede verde. Um patamar dos 52 metros quadrados que funciona como um hall com estar tem o conforto de uma lareira e uma poltrona que convida a momentos de leitura. Arremata a proposta um pendente de cristal desenhado pela arquiteta, mais um elemento de personalização do projeto. E um tapete na parede. No pavimento inferior do ambiente que abraça área em dois andares, o piso de porcelanato amadeirado Portinari aquece a proposta. É preciso ressaltar que a ampla escada de conexão tem corrimão em cava iluminada e jogo de espelhos que reflete os demais materiais.

Luthier BW

– A ideia era triplicar o movimento dos veios do mármore da escadaria, trazendo maior sensação de amplitude para os degraus paginados. As pilastras espelhadas foram estrategicamente pensadas para que quando o visitante descesse as escadas conseguisse observar a adega localizada abaixo da escada. A adega, também espelhada nas paredes, piso e teto, traz a sensação de estarmos em um ambiente com piso infinito. Provocar sensações únicas, promover um espaço de estar e de contemplação, esse era o objetivo do projeto – explica Melina.

Cores em movimento

Multiplicar foi o que fez Marília Zimmermann: em 56 metros quadrados dispôs cinco ambientes. No Lavabo Tri Suave, um espaço funcional, cabem lounge, lavatórios, banheiro feminino, masculino e acessível. Mas o que chama a atenção na proposta é o material do piso cerâmico, Joy MZ, assinado pela arquiteta para a Portinari, lançamento que teve passagem pelo Salone del Mobile Milano deste ano. Com a intimidade de quem entende do produto, a paginação usada na composição, formando movimento pelo assentamento geométrico, reforçada pela paleta de cores, convida o visitante a deslizar pelos recantos tonalizados a partir da cerâmica, resultando em uma personalidade única e surpreendente. Sensação de relaxamento e bem-estar marca desde o lounge, com paredes verde-água e sofá modular tricolor com tons e linhas que emanam do piso. Completa o clima a iluminação difusa criada por uma tela tensionada que paira sobre o estar.

Coleção Joy MZ assinada pela arquiteta Marília Zimmermann

Mas Marília quer saber “Que cor tem a tua paz?” A pergunta está escrita em neon, no segundo ambiente Tri Suave. Desta vez, com o predomínio de salmão prossegue entre os tons pastel como pano de fundo para as cubas de piso acomodadas em arcos que homenageiam a arquitetura. O público aprova a proposta multicolorida.

–  Eu já sabia que as cores podem evocar sensações e até influenciar nosso humor, mas ver as pessoas reagindo a esses estímulos pessoalmente é incrível, elas comentam que sentem tranquilidade, conforto e paz quando entram no espaço. Ficou um ambiente bem emocional e era esse um dos objetivos, estou bem feliz com o resultado – diz a arquiteta.

Dupla de sucesso

Impossível não mergulhar nos ângulos do tapete autoral de couro com pelo sobre o piso de porcelanato grafite Portinari que se fundem em uma proposta sob medida para o ambiente de gênero masculino. Em azul profundo nasce o Bureau Hopman, gabinete do arquiteto Guilherme Lopes, com tonalidades escuras e poltronas azuis. Entre os destaques, a lareira suspensa aquece a área de 28 metros quadrados com escrivaninha, estar e copa.

Coleção Chaplin

Como música

Nas idas e vindas à casa da família Verissimo, no bairro Petrópolis, perto da Praça Mafalda Verissimo, ficou clara a força da história dos 50 anos de jornalismo do escritor e músico Luis Fernando Verissimo. Compondo A Sala do Luis, a arquiteta Izabela Pagani detalhou cada centímetro dos 31,10 metros quadrados do espaço a partir do acervo material e imaterial do homenageado. Até o projeto da estante foi baseado nas notas do Samba de Verão, bastante executado pelo quinteto Jazz Seis, com a representação física da música. E o material escolhido, madeira pau-ferro, é o mesmo usado na produção de instrumentos musicais. Izabela refere-se à “eterna durabilidade” do material comparando com os textos criados por Luis Fernando.

Coleção Onice

Claro que uma poltrona tem papel relevante, inspirada naquela em que o pai, Erico Verissimo, sentava para corrigir seus manuscritos e considerando que Luis Fernando tem a sua preferida em casa. A da CasaCor tem design do Studio Ha.Fatto, revestida de veludo verde e protagoniza o recanto de leitura da Sala. Como um pré-lançamento para o mercado, a mesa de centro Clev, tem design de Luan Del Salvio, de aço arbono preto e lâmina natural de jequitibá ebanizada. A peça será lançada na feira High Design, em São Paulo, um mês depois da abertura da CasaCor RS. Assim como essas há várias peças assinadas por designers em alta, a exemplo da cadeira Shell, desenhada por Marcelo Ligieri, revestida de couro preto. Tudo dentro da atmosfera intimista do espaço, com tratamento especial sobre base de revestimento cerâmico polido da Portinari para fazer brilhar as peças do acervo da família.

A proposta da A Sala do Luis passa por uma narrativa inspirada na museografia de instituições que preservam patrimônios históricos e artísticos com a assessoria do consultor e ex-diretor do Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Cézar Prestes. Do amigo Glauco Rodrigues, uma pintura de 1968 intitulada “Uma mãe extremosa” mostra a mulher, Lucia, e as filhas, Fernanda e Mariana. O filho caçula Pedro entrou em cena posteriormente, com aparência jovem, apesar de ser o filho menor. Fotografias emprestadas pela família compõem a narrativa proposta juntamente com as imprescindíveis crônicas gráficas As Cobras, feitas para os jornais Zero Hora e Jornal do Brasil. Charges de Luis Fernando pelo olhar implacável mas amoroso do amigo Chico Caruso igualmente do personagem criado pela ilustradora Bebel Braga Callage contracenam com obra recente de Wagner Costa, “Retrato Calado em Papel Pintado”. O personagem retratado é conhecido no Brasil mais pelas palavras escritas e notas musicais do que pela fala, apesar do seu humor e inteligência particulares.

Tecnologia e fluidez

Minimalista, a Casavintecinco LG tem a marca do trabalho do designer de interiores Juarez Cruz. Em 115 metros quadrados, living, cozinha, dormitório, closet e banheiro têm paleta monocromática e neutra dos revestimentos Portinari aos móveis e tecidos como da fluida cortina, com foco no essencial e na praticidade, mas com misturas sutis. Há indícios de memória afetiva e da presença do usuário, que desfruta da tecnologia que se materializa na torre de equipamentos da cozinha com marcenaria desenhada pelo autor do espaço. Esse ponto vale uma parada para a experiência de testar pelo menos a abertura de portas do refrigerador.

Coleção Venezia – categoria de produto Pietra Portinari Prime

Apesar de a casa contemporânea pode ser controlada pelo celular ou comando de voz, não prescinde do tradicional aconchego de estofado e cama para momentos de relax. No estar, impera o sofá modulado, design do Studio Ha.Fatto, flexível como a vida moderna. A cama montada sem a rigidez de outrora mostra que o personagem imaginário tem um perfil descolado. Seu gosto inclui obras de arte como Iberê Camargo, Tomie Ohtake, Tarsila do Amaral, Eduardo Haesbaert, Hugo França e Vasco Prado. Como designers de mobiliário, assinam ainda Vinicius Siega e Luan Del Salvio.

Tempo de qualidade

Na parede, o cocar Kairós, do artista Marcos Bazzo, personifica um elemento indígena que, na mitologia grega, tem na figura de Kairós a representação do deus do tempo. Autor da Suíte Spa Kairós, o arquiteto Sandro Jasnievez analisa que, “para os gregos, a ocasião estará irremediavelmente perdida se não a agarrarmos no momento em que ela passar e, para nós, é quando permitimos que o tempo faça uma pausa para o bem viver”. Em 145 metros quadrados, o arquiteto dispôs recantos para descanso de um casal e cuidados com a saúde, porque, além do dormitório e de banheiros e closets para cada um, há um estar íntimo, área de relaxamento e sauna seca.

Coleção Memory

O spa é o centro da proposta que conta com a cama desenhada pelo arquiteto e, no piso, um lançamento da Portinari, o porcelanato Memory que, na área da cama, tem a companhia de um tapete disposto de forma deslocada. Várias obras de arte e peças de design personalizam a proposta: uma dupla de poltronas Ava, do designer Guto Indio da Costa, dão um show no centro da área de closet. O sofá Raw, obra de Luia Mantelli, assim como o banco Fitas, de Ale Alvarenga, contracenam com o balaio de lã de Ines Schertel e a luminária Cactus, de Carol Gay. Entre as obras de arte, chama a atenção o resgate de um desenho de Alice Soares das suas icônicas figuras infantis e um colar e pêndulo de Martha Poetsch, acessórios para a casa.

Gastronomia com experiência

Design para gerar experiência é a proposta do Studio Santy para a Embaixada Gourmet Experience Arauco, ambiente funcional de área de cocção e jantar que recebe chefs para cozinhar e convidados para degustar pratos em 86 metros quadrados. O projeto da designer Jéssica dos Santos valoriza a paleta de cores composta com as texturas dos materiais para criar um espaço contemporâneo voltado para o prazer à mesa, esta servida por cadeiras Daniella, criações de design de Aristeu Pires em imbuia. O conjunto, disposto sobre o piso Cement Stone, da Portinari, transita entre a textura da pedra e do cimento e confere aparência natural à proposta.

Coleção Cement Stone

Na área de preparo dos alimentos, a coleção Maiólica, também Portinari, remete à técnica de pintura em cerâmica surgida na Itália no período da Renascença. Estão preservadas no produto as referências de cores, do craquelê delicado e, claro, o aspecto artesanal da cerâmica. Sobre obras de arte, trabalhos especiais de Pablo Ferretti, um óleo sobre tela; Frantz, pintura acrílica sobre tela; e fotografias e litogravuras cheias de significado de Zulaine Santos, mãe de Jéssica Santos.

Presença constante

Tudo isso reforça a adequação ao tema da CasaCor 2019, Planeta Casa, que remete, entre outras questões, à natureza e à memória afetiva. A variedade de produtos Portinari faz com que a marca esteja presente com propostas diversas, auxiliando na personalização de mais cinco ambientes. Entre eles, o lindo Oásis Urbano, lavabo público contemporâneo e minimalista de Mariana Ordahy Design, e a Suíte Mon Amour, de Cintia Aguiar, para o relax de uma mulher de atitude. Na área funcional, o Yard Café, de Márcio Moreira, Samantha Diefenbach, Magali Montani e Michele Ravadeli, propõe um café e bistrô de inspiração francesa que recria o jardim do antigo hospital nas suas superfícies, com grandes aberturas e planos de espelhos que trazem a arcada do edifício para o interior do espaço.

Coleções Detroit e Rima 

A Adega e Boulevard Gastronomia, do escritório JGS Arquitetos, de Carolina Gehlen, tem o objetivo de propor espaço para desfrutar da gastronomia, acompanhada de vinhos e azeites de oliva. Já o ambiente Casulo N°5, loja de fragrâncias projetada pelas irmãs Daiana e Roberta Arnold Schell, do escritório Casulo Arq Design, oferece a experiência da aromaterapia, para levar junto uma lembrança da exposição que reativa o prédio do hospital com uma capela anexa localizado no 4º Distrito de Porto Alegre.

Crédito imagens: Cristiano Bauce

Deixe seu comentário

Este campo é obrigatório

Este campo é obrigatório

O endereço de e-mail é inválido